Proposta Pedagógica

PROJETO POLÍTICO – PEDAGÓGICO

1. Marco Filosófico

É de extrema importância haver, em nossa escola, um processo de construção do homem-cidadão, ético, íntegro, com poder de decisão, respeitando a si mesmo, ao seu grupo e o ambiente em que vive. Crítico, propositivo, criativo e com senso coletivo e justo.

Uma Escola que forme um Homem que não seja máquina, repetidor, mas reflexivo, ético, qualificado, humano. Uma Escola que possibilite o rompimento com a reprodução desta posta sociedade onde vale mais quem TEM mais (mais conhecimento, mais oportunidade, mais dinheiro) colaborando para uma sociedade de homem que TEM sabedoria, a saber, o uso benéfico, construtivo e solidário de seu conhecimento, oportunidade e dinheiro. O papel da Escola é formar o cidadão, é construir este projeto de cidadania, desenvolvendo práticas educativas que contribuam na formação cidadã dos que compõem nossa comunidade: professores, funcionários, alunos e responsáveis.

Assim, pretende-se que as práticas internas extrapolem os muros escolares e que individualmente seus agentes contribuam na formação de uma sociedade igualitária, tolerante com as diferenças, que respeitem o próximo e o meio ambiente, com conhecimento, respeito, justiça, criticidade, com postura democrática e proativa. Entendemos uma sociedade democrática, participativa e justa aquela em que há acolhimento de todas as ideias e estas façam parte das decisões para todos. Ouvir as opiniões, conhecer as visões diferentes promove o envolvimento nas Os valores da sociedade capitalista estão interferindo na formação do ser humano. Desejamos um sujeito que tenha a mente mais reflexiva, crítica e com ideais cooperativistas, que encontre seu espaço de atuação para que, assim, possa ser atuante e não coadjuvante da História.

A escola tem o dever de desenvolver o lado cognitivo do aluno, isto é, formar e informar, como também desenvolver o lado afetivo. Preparar um ser com o olhar mais sensível às questões humanas e ambientais para que possa atuar com comprometimento e ideais pautados no respeito, na cooperação, na justiça e na ética. É preciso formar um homem que possa reconstruir essa sociedade materialista e individualista.

A nossa escola nasceu do ideal dessa reconstrução de sociedade, tanto entre nós, cooperados, como também entre os alunos. A nossa escola deve ser inserida no contexto de desenvolvimento com sustentabilidade, ou seja, não negamos nem podemos negar a sociedade capitalista, mas desejamos que ela inove no sentido de desenvolver o sentimento de criticidade para que o aluno seja capaz de também reconstruir a sociedade. Isso será possível desenvolvendo o diálogo, o pensamento crítico, cooperativo/solidário, o discernimento entre o que é ético e o Pretende-se uma escola crítica, participativa, transformadora e cooperativista. Seu projeto sociopolítico deve apresentar tal visão de educação com metas a serem atingidas, metodologia (práticas) e avaliação continuada.

2. Marco Pedagógico

No processo de globalização que vivenciamos é preciso construir uma escola que valorize a educação, que dê bases científicas, tecnológicas e comportamentais para a permanente construção/reconstrução do conhecimento de forma autônoma e responsável. Uma escola voltada para um processo de construção de conhecimento por meio da participação, diálogo, tecnologia e É necessária uma educação crítica consciente de sua realidade globalizada, que vise à transformação de práticas individualistas em práticas colaborativas para uma sociedade menos desigual.

Uma escola que pretende ter uma ação transformadora deve adotar uma pedagogia que propicie vivências educativas que contemplem o diálogo, a participação, a integração, que priorize a formação de um ser crítico, criativo e É prioritário, em termos pedagógicos, o conteúdo contextualizado à realidade, para a formação de cidadão crítico, que valorize a cultura, a arte, o esporte e o respeito às diferenças; tornando a escola um espaço mais criativo e produtivo, menos tradicional, adequando novidades tecnológicas às práticas educativas.

A Escola/Educação que pretendemos é aquela que contribua para a construção do sujeito, com ênfase no conhecimento, na identidade, na cidadania; que promova a liberdade de pensar, descobrir e agir. Uma Escola que, compreendendo o dinamismo e a fluidez das demandas da sociedade, instrumentalize o aluno com linguagens (português, matemática) e conhecimentos científicos e possibilite que ele busque suas respostas com autonomia intelectual. Nossa prática deve ser orientada com responsabilidade, comprometimento/engajamento, ética e profissionalismo, balizada por uma pedagogia que permita a flexibilidade de repensar o processo de ensino/aprendizagem enquanto ele acontece; que respeite as diferenças e as valorize como riquezas que são; que promova condições para a construção do conhecimento, afim de que o aluno consiga se utilizar desse conhecimento melhorando a qualidade do seu viver.
Conhecimento e ética balizadores de nossa escola, serão referendados a partir da qualificação técnica de seus profissionais; a busca por atualização; o planejamento de aulas, compreendendo-o como respeito aos alunos; pontualidade, assiduidade; postura (de professor/educador); profissionalismo/humanização; objetivos claros; estabelecimento de canais de reivindicações dos alunos.

Os princípios que devem orientar a prática escolar são: responsabilidade e ética. A prioridade em termos pedagógicos deve ser o comprometimento com o processo de aprendizagem.